Pular para o conteúdo principal

Perry Rhodan #001: Missão Stardust


Perry Rhodan foi lançado em 1.961 e narrava em sua primeira aventura eventos ocorridos em um fictício ano de 1.971 onde os EUA estavam à beira de uma conflito militar com a Federação Asiática – um termo vago, que poderia significar a união da URSS com a China, ou qualquer uma das duas nações trabalhando em separado.

O pano de fundo era a Guerra Fria e a tensão crescente entre os três países e só a compreensão exata do risco que representava para a humanidade este conflito, se viesse às vias de fato, é que torna a história e as ações dos personagens perfeitamente compreensível.

Perry Rhodan, a série, é um produto de sua época e, portanto, tenta retratar as questões dela. Atualmente tudo que se refere à série é superlativo. Com mais de 2.750 episódios publicados e ainda sem um fim definido, a série já soma mais de 165 mil páginas de texto.

[Trama]
Quatro astronautas americanos vão à Lua na nave Stardust – no fictício 1971, portanto a história real conseguiu tal feito com dois anos de antecedência. Avariados descobrem os alienígenas Crest e Thora em uma nave dos arcônidas, uma raça em decadência. Rhodan retorna com o enfermo Crest para a Terra, mas se afasta dos EUA – e da URSS, e da China – vindo para o deserto de Gobi.

Preocupado com o possível conflito militar, Rhodan decide que a tecnologia e o conhecimento da existência de raças alienígenas não deve pertencer apenas aos EUA. Com a aprovação de seus colegas rompe com a Força Aérea americana!

[Impressões]
Todo leitor de quadrinhos conhece o conceito de produção de autores orientado por um editor. Séries como Superman, Batman, Homem-Aranha e X-Men que já tiveram episódios semanais e escritor por autores diferentes que tinham que construir uma macro-história – em geral as famosas sagas anuais.

Em 1.961, os autores K. H. Scheer e Clark Dalton já faziam isto para resistir a um mercado dominado por autores americanos. A série se tornou um sucesso e fez história.

A trama se desenvolve bem, com um ritmo bom, ainda que busque alguns clichês fáceis de ser identificados – em especial o interesse entre Rhodan e Thora.

A impressão que fica é de um romance grande, escrito a quatro mãos e que a cada semana era fornecido um capítulo do todo, mas com uma trama com início, meio e fim.

A história diverte, mas evidentemente ecoa as obras americanas da época e as circunstâncias geopolíticas daquele momento. Curiosamente, mesmo após 53 anos da publicação não ofende a inteligência.

O curioso destaque fica para a decadência dos arcôndicas e sua própria missão em busca do segredo da imortalidade.

Vale (muito) a pena ser lido e conhecido.

Perry Rhodan
-1
0
+1
-
1:
Missão Stardust
1º ciclo:
A 3ª Potência, episódio 1
K. H. Scheer
2:
A 3ª Potência
1º ciclo:
A 3ª Potência, episódio 2
Clark Dalton

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

O único animal, Luís Fernando Veríssimo

O homem é o único animal...
...que ri
...que chora
...que chora de rir
...que passa por outro e finge que não vê
...que fala mais do que papagaio
...que está sempre no cio
...que passa trote
...que passa calote
...que mata a distância
...que manda matar
...que esfola os outros e vende o pêlo
...que alimenta as crias, mas depois cobra com chantagem sentimental
...que faz o que gosta escondido e o que não gosta em público
...que leva meses aprendendo a andar
...que toma aula de canto
...que desafina
...que paga pra voar
...que pensa que é anfíbio e morre afogado
...que pensa que é bípede e tem problema de coluna
...que não tem rabo colorido, mas manda fazer
...que só muda de cor com produtos químicos ou de vergonha
...que tem que comprar antenas
...que bebe, fuma, usa óculos, fica careca, põe o dedo no nariz e gosta de ópera
...que faz boneco inflável de fêmea
...que não suporta o próprio cheiro
...que se veste
...que veste os outros
...que despe os outros
...que só lambe os outros
...que tem cotas de emigração
...qu…