Open top menu
terça-feira, 12 de novembro de 2013


A TV produz enlatados aos lotes partindo quase sempre da premissa que estiver em moda no mercado. Uma delas, no momento, é dos assassinatos, das investigações.

Broadchurch, série inglesa criada e escrita por Chris Chibnall é mais do mesmo, ainda que se diferencie por boas atuações que nos permitem crer no demonstrado: a ruptura de uma estrutura social a partir de um assassinato.

Broadchurch é uma pequena cidade de veraneio com 15 mil habitantes. Um garoto é assassinado e aparentemente ninguém tem motivo para matar um menino de 11 anos. A família e, de certo modo, parte da cidade é envolvida em um processo de acusação e defesa: o jornaleiro com um histórico de pedofilia, o padre alcoólatra em tratamento, o pai ausente e com relacionamento familiar desgastado, a mulher misteriosa e mal-humorada. Todos tem álibis fracos e algum segredo que não desejam que seja revelado que, segundo eles, “não tem nenhuma relação com a morte de Danny”.

É legítimo que desde o primeiro momento o expectador tem interesse em saber o “quem” e o “por quê”, este ainda mais que o primeiro, mas a série se sustenta na figura da dupla de investigadores principal, que remete aos melhores momentos de Arquivo X em termos de química: ela, Ellie Miller (Olivia Colman), uma policial que não conseguiu a promoção que desejava, dedicada mãe de família que tem de trabalhar com um novo chefe, que ocupa o cargo que seria seu. Ele, Alec Hardy (David Tennant) introspectivo, metódico e assombrado por um caso dezoito meses antes em que a perda de uma prova pôs sua carreira em risco, encerrou seu casamento e lhe rendeu um problema cardíaco.

O GNT está reprisando a partir de segunda, 11 de novembro, mas originalmente foi ao ar entre agosto e setembro de 2013.
Tagged
Different Themes
Written by Lovely

Aenean quis feugiat elit. Quisque ultricies sollicitudin ante ut venenatis. Nulla dapibus placerat faucibus. Aenean quis leo non neque ultrices scelerisque. Nullam nec vulputate velit. Etiam fermentum turpis at magna tristique interdum.

0 comentários