Pular para o conteúdo principal

Kevin Bacon sobre adaptações de hq's

Me chamou a atenção um extrato da entrevista de Kevin Bacon, astro da série de TV The Following, sobre o mercado de cinema. VEJA pergunta “O que o motivou a buscar emprego fixo na TV?”, e ele responde “Ainda adoro fazer cinema. Mas o fato é que Hollywood anda produzindo cada vez menos filmes e quase só aposta em arrasa quarteirões baseados em histórias em quadrinhos (...)”. (VEJA edição 2.321, quarta-feira, 15 de maio de 2.013, capa com chamada “Entenda o que é Big Data”).

Esta não é a primeira crítica que ouço ou leio ao formato atual da indústria de cinema, mas chama a atenção por ser a primeira que se refere diretamente aos quadrinhos e suas adaptações, um formato baseado em trilogias e em infinitos reboots. Agora que a tecnologia está disponível cada verão vem com uma avalanche de lançamentos que tira o brilho e produz um certo cansaço.

Antes não tínhamos nenhum filme, agora temos só dos mutantes cinco filmes (X-Men, X-Men 2 e X-Men 3, X-Men Origins: Wolverine e X-Men: Primeira Classe) e dois estão sendo rodados (Wolverine Imortal e X-Men Days of Future Past). Se contar Os Vingadores e seus prelúdios (Capitão América, Thor e Homem de Ferro) então a coisa cresce muito.

Já há um certo cansaço e minha esperança é que não atinja O homem de aço, o reboot de Superman. De qualquer modo fica registrado que alguns atores se sentem limitados com a oferta atual de papéis.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!