Pular para o conteúdo principal

Os mortos-vivos vol 5: A melhor defesa

Publicado em julho de 2011 depois da estreia da série de TV The Walking Dead em outubro do ano anterior, o hiato entre este e o volume anterior foi de 23 meses, já que o volume 4 Desejos carnais foi publicado em outubro de 2009.

[A trama]
(Cerca de sete meses depois de iniciado o apocalipse zumbi.)

Encontrando roupas que permitem uma relativa segurança na área do pavilhão da prisão, Rick e Glenn observam um helicóptero cair e juntos com Michonne vão em busca dos possíveis sobreviventes apenas para descobrir que foram resgatados por outros antes.

Seguindo a pista chegam à uma pequena cidade chamado Woodbury, próxima de Atlanta, que é dirigido por Phillip Blake, que aceitou o título de Governador. Sem muita perda de tempo este Governador exige respostas do trio.

Corta a mão de Rick, estupra Michonne e tortura psicologicamente Glenn tencionando a posição de sua base.

Na prisão as pessoas se preocupam com a ausência do trio e a instabilidade de Carol e seu desejo de fazer parte de algo que a proteja só aumentam a tortura de Lori.

[Crítica]
A melhor defesa que reúne as edições The Walking Dead #25-30 consegue ser a melhor coletânea da série, mas não é feita para neófitos. Todo o terreno já foi preparado e agora basta explorar os acontecimentos.

Phillip Blake, o Governador, é aquele personagem complexo que exige muita análise para a descoberta de suas verdadeiras motivaçõs. Sobrevivente, passou a organizar um outro grupo de sobreviventes em Woodbury, onde é respeitado, mesmo fazendo uso de violentos jogos para manter a população sob controle, o que ele chama de entretenimento. Os poucos estranhos que chegam à cidade são mortos e entregues aos andarilhos para mantê-los mais dóceis para o uso nos jogos e mantêm uma pequena garota (sua filha?) transformada em seu apartamento.

De imediato ele vê uma oportunidade de conseguir mais alimentos, armas, combustível e uma posição mais defensável se conseguir a informação de Rick e cia.

Talvez ele seja apenas uma outra versão de Rick e das escolhas do ex-policial.

Talvez ele tenha enlouquecido pelo poder, enlouquecido pela situação, por tudo que passou para chegar até ali.

Mas não sinta pena do Governador.

Ele gosta do quê faz.

Ele é o mais próximo de vilão que a série tem.

De resto a graphic novel mostra a tentativa de transformar a prisão em que habita o grupo de sobreviventes orientado por Rick, em algo mais próximo do habitável e crescente preocupação com o não retorno do trio.

Um grande momento para a série, torno a dizer, por que mostra que o ser humano é completamente adaptável e pronto a obedecer. A obediência faz com que não se reflita sobre aquilo que se faz, tornando os atos apenas uma consequência de uma hierarquia não um desejo real.

Texto de Robert Kirkman, arte de Charlie Adlard e tons de cinza de Cliff Rathburn.


[Volumes de Os mortos-vivos]

Vol.
Lançamento
Edições #
Título
01
05/2006
#1-6
02
11/2006
#7-12
03
04/2008
#13-18
04
10/2009
#19-24
05
07/2011
#25-30
A melhor defesa
06
10/2011
#31-36
Vida de agonia
07
12/2011
#37-42
Momentos de calmaria
08
03/2012
#43-48
Nascido para sofrer


Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…