Pular para o conteúdo principal

Software livre numa pequena empresa

Muita gente imagina que seu computador antigo – até cinco anos – necessita ser trocado para se instalar aplicativos mais recentes.

Não é verdade.

Uma pequena empresa pode utilizar um computador de até cinco anos atrás com HD de 20 ou 40 gibabytes e 1 giga de RAM para rodar um conjunto de software livre/código aberto (SL/CA) facilmente.

Imagine que o computador em promoção (R$ 800-900) pode ser perfeito para você, especialmente por que até o software de controle de estoque também é livre. O custo de implantação se resume na compra de equipamento, em mão de obra de instalação e treinamento.

Vamos lá?

Use como sistema operacional o Ubuntu 9.10 ou 10.04/10.10. São duas versões do software de sistema operacional Ubuntu, uma lançada em outubro de 2.009 (daí o número 9.10, ou seja ano – 9 – e mês -10 ) e outra em abril de 2010. Prefira a versão 10.04.

Por quê?

As atualizações das versões do Ubuntu duram dezoito meses (então a versão 9.10 irá até abril de 2.011), mas a versão 10.04 é um tipo de versão cujas atualizações duram cinco anos.

Uma reflexão importante é que ao contrário do que seu técnico de informática, ligado à uma empresa que vende hardware, vem martelando em sua cabeça não é necessário fazer atualizações sucessivas do sistema operacional (Windows 95, 98, XP, Millenium, Vista) nem proprietário nem livre.

Um software mais recente como o Windows Vista usa mais recursos de hardware que um mais antigo. Daí o fato que sua máquina produzida em 2.005 não consegue rodar perfeitamente o Windows Vista. A não ser que seja absolutamente necessário em função de um software essencial para a empresa evite atualizações.

Um computador tem vida útil de dez anos e só deve ser completamente abandonado por desgaste físico.

Junto com o sistema operacional você terá a instalação do Open Office (ou Libre Office) que é uma suíte de escritório que reúne um editor de textos, uma planilha eletrônica, um banco de dados e um software para produção de apresentações.

Seguirá também um navegador de internet (o Mozilla Firefox) e um tocador de música (Rhymtbox).

Complementos?
Aconselho a utilizar o cliente de mensagens instantâneas aMSN – que é muito semelhante ao produto proprietário de nome semelhante e inclusive tem uma skin (pele ou camada) que o deixa idêntico – e o gravador de dvd's/cd's K3B.

Se você usa um cliente de e-mail, o Ubuntu tem o Thunderbird por padrão.

Caso você só use web e-mail seu navegador servirá.

Testes que fiz mostram que é interessante ter instalado na máquina o Firefox e também o navegador Google Chrome, em função de erros não do navegador, mas dos desenvolvedores que produzem softwares tendo em vista apenas o navegador da Microsoft, o Internet Explorer. São muito comuns erros de programação JAVA que beneficiam o navegador proprietário. Minha experiência profissional – trabalho em uma propriedade rural – mostra que a emissão de nota fiscal eletrônica de produtor rural do estado de Minas Gerais até o dia 24 de novembro de 2010 tinha um erro de código JAVA na impressão. Você produzia a nota mas não conseguia imprimir em definitivo.

Ao testar o Chrome eu consegui imprimir a nota já produzida utilizando o Firefox ou mesmo uma nota produzida exclusivamente no Chrome. Notei, no entanto, que no processo de impressão o Chrome faz o download do arquivo da NF em pdf para a pasta “Download”, e em função disto, a cada impressão tem que se apagar o arquivo que já existe lá. Em escritórios de contabilidade seria interessante apenas alterar o nome do arquivo para algo como NF nº XXXXX e guardar para futura referências.

A Administração Fazendária do Estado de MG, mesmo avisada sobre o erro em ambos os navegadores – em um não imprime a NF e em outra necessita que o arquivo seja realocado – se limita a informar que os requisitos mínimos do sistema necessitam de um certo software proprietário.

Voltando aos complementos aconselho o GIMP, um software livre para edição de fotos tão eficiente para o Photoshop.

O leitor de PDF do Ubuntu é muito bom, mas páginas que tem uma grande quantidade de imagens geram erros. Instale o Adobe Reader caso você trabalhe com documentos em formato PDF com muita páginas e muitas imagens. Caso não seja seu perfil, o leitor do Ubuntu irá servir.

Anti-vírus?

Não precisa! Os vírus exploram falhas de software para serem replicados. Existem falhas no Ubuntu mas são corrigidas logo que se toma o conhecimento de sua existência. A atualização permite que estas correção sejam distribuídas. Os arquivos de vírus também usam o padrão de aplicativos do Windows (ou seja, arquivos EXE ou COM). Estes arquivos não são executados no Ubuntu.

Existem vírus para Ubuntu? Não é vantajoso criar vírus para um população de apenas 6% de computadores mundiais, pois corre-se o risco dele não replicar – ou seja não infectar outros computadores. E como as falhas de software que permitem a replicação são corrigidas muito rápido pela rede de colaboradores não é viável este tipo de produção. Em resumo, existem vírus, mas já foram diagnosticados e as falhas que permitiam sua proliferação corrigidas.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!