Pular para o conteúdo principal

Flash: Rebirth

Flash: Rebirth, minissérie em 6 partes publicada no final de 2.009, assim como a série Green Lantern: Rebirth é uma série para reintroduzir um personagem “morto” no Universo DC (DCU) e ambos são produzidas por Geoff Johns (roteiro) e Ethan Van Sciver (arte).

Não pense que a DC tem exclusividade no assunto, já que a Marvel teve recentemente Captain America: Reborn. Ambas as editoras vira-e-mexe matam e retornam com suas personagens, mas poucos estavam mortos há tanto tempo quanto Flash – desde 1.985 – e Bucky – desde 1.964.

Flash: Rebirth, diferente da série do Lanterna Verde que foi bem escrita ou da série do Capitão, que foi bem desenhada e tinha conceitos sci-fi interessantes, não funciona! Não empolga em nenhum momento e fica-se com a impressão que faltou algo a acontecer. Parece apenas um prelúdio para a série mensal do personagem... algo como uma história que poderia ter rendido uma edição edição número “zero” com algo como sessenta páginas.


Vamos às explicações. Barry Allen é o segundo e mais famoso Flash da editora americana DC Comics. Depois de um longo arco em sua série mensal no início dos anos 1.980, Flash se afastou da Liga da Justiça e foi viver no futuro.


Retornou na série Crise nas Infinitas Terras (1.985) onde fez o sacrifício máximo para destruir uma máquina do vilão Antimonitor, a entropia encarnada. Acreditava-se que havia morrido e por 22 anos foi assim...

A partir de 1.987 seu sobrinho, Wally West assumiu o manto de Flash, tornando-se o terceiro velocista da editora.

Em Crise Infinita (2006) descobriu-se que Allen não estava morto, mas fora atraído por uma energia chamada força de aceleração que abastece todos os velocistas da editora. Ao perceber isto, Eobard Thawne – o Professor Zoom ou Flash Reverso – cria condições para que Barry retorne ao nosso mundo durante o evento Crise Final (2008), mas a gente só descobre que ele esteve envolvido agora – explicação que pela falta de detalhes, não convence.

Note que Marv Wolfman – criador e escritor de Crise nas Infinitas Terras – disse em entrevista que havia deixado um gancho para o retorno de Allen. Johns apenas explorou antes que alguém o fizesse.

O resumo da história é o seguinte: Barry Allen retornou, está desajustado, tentando ficar distante dos amigos e parentes e descobre que se tornou uma nova versão do Flash Negro, matando pessoas que tem acessos à força da aceleração. No meio da série descobrimos que ele estava sendo manipulado por Thawne e não era responsável pelas mortes, e daí para diante é ajustar os atuais velocistas para fazer frente ao vilão.

Ficam duas tramas em aberto, uma envolvendo a Cidade Gorila e o os dois Flashes Reversos – Thawne e Solomon Hunter – e outra envolvendo Abracadabra.

De definitivo e bem delineado somente a carreira como investigador de cenários de crimes e sua obsessão em descobrir quem matou a sua mãe, Nora Allen, o que resultou na prisão de seu pai. Este mistério é resolvido. Aparentemente este será o foco da série mensal “Flash” que vem em seguida.

Resta, por fim, saber o quê Thawne estava fazendo no presente e como tinha acesso à tecnologia e conhecimento para alavancar estes eventos.

A DC já elegeu Flash para o personagem de 2.011 graças ao evento Flashpoint, mas com a atenção à série do Lanterna Verde que terá um filme lançado no próximo ano é bem provável que a editora decida aproveitar a fama de um para explorar a capacidade d'outro.

Veremos.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

A Saga do Quarto Mundo: Novos Deuses, volume 1 e 2

Ponto central a Saga do Quarto Mundo em New Gods (Novos Deuses em português) temos as aventuras de Orion sozinho ou auxiliado por Magtron e humanos. A parceria entre um deus e humanos seria evocada novamente em Os Eternos (1.976-78) do mesmo Jack Kirby. Em ambas as séries, após a parceria inicial os humanos seriam abandonados.

Aqui a macro-trama é que na Terra o deus maligno Darkseid tem pistas de uma fórmula chamada equação anti-vida ao qual deseja com objetivos próprios. Orion, filho de Darkseid mas criado pelo benigno Pai Celestial, é o nêmese de seu pai e está destinado a matá-lo.

Além de New Gods a Saga do Quarto Mundo foi publicada nos primeiros volumes das séries Mr Miracle (Senhor Milagre), Forever People (Povo da Eternidade) e Superman Pal's Jimmy Olsen (a única que não foi criação original de Kirby).

Originalmente New Gods foi publicada em série bimestral com onze números (março de 1972- novembro de 1972).

Em 1984 a DC Comics re-editou a série original em The New Gods,…