Pular para o conteúdo principal

Lost [6x13] – O último recruta

Finalmente se confirma um dos mistérios lá da primeira temporada: Sim era a “coisa de fumaça” que agiu como o pai falecido de Jack e Claire. Claro que isto abre a possibilidade para que todas as aparições de mortos sejam manifestações da “coisa de fumaça” que hoje usa uma cópia do corpo de Locke.

Bem e vamos então para este que é o 13º episódio da sexta temporada de Lost. Esta é a temporada final, e a série terá 17 episódios, sendo os dois últimos transmitidos num mesmo dia. Assim temos mais três semanas para exibir os episódios 14, 15 e 16-17, sendo que possivelmente a ABC irá produzir algum especial na última semana.

A trama no momento é a seguinte: Seis pessoas deixaram a ilha e retornaram para resgatar os que ficaram. A coisa de fumaça assumiu a fisionomia de Locke e tenciona sair da sua prisão, para tanto quer utilizar o mesmo avião que trouxe as pessoas de volta. No caminho há Widmore que finalmente retornou à ilha e argumenta ter um mecanismo para destruir a criatura, possivelmente utilizando habilidades especiais de seu genro, Desmond Hume.

Depois de muito vai e vem, Hurley propõe a união com Locke de modo a reunir a turma, o quê não impede que ele, Sawyer, Kate, Sun, Lapidus e Claire fujam num barco tencionando abandonar Locke e unir-se à Widmore, a quem previamente Sawyer já havia feito um contato.

Jack Sheppard que sempre foi o cético da série, estranhamente abandono o barco de Sawyer e retorna ao acampamento de Locke. Jack aparentemente começa a acreditar que a ilha teria um plano para a vida das pessoas que esteve influenciando. Esta é uma transformação do personagem, que sempre rimou pela cartilha dos fatos científicas e das hipóteses plausíveis.

No entanto, ao saber que o grupo abandonou Locke, Widmore autoriza um ataque com granadas de longo alcance ao agrupamento da “coisa de fumaça”, aparentemente ferindo Jack.

Neste episódio não aparece o grupo liderado por Richard que havia se separado anteriormente quando Hurley sugeriu conversar com Locke. Este grupo deseja destruir o avião de modo que a “coisa de fumaça” não deixe a ilha.

Agora na dimensão alternativa tudo vai se unindo. Desmond Hume havia atropelado Locke ao final do último episódio. Isto provoca o rápido encontro dele com Sun & Jin no Hospital (ela havia recebido um tiro de um assassino contratado pelo seu pai para matar a ela e ao esposo, mas o assassino foi morto por Sayid) e na mesa de operação Locke finalmente será operado por Jack (o médico já havia o encontrado no vôo e no aeroporto e chegou a dar um cartão de visitas à ele).

Desmond continua sua missão de reunir as contrapartes dos sobreviventes do vôo e encontra com Claire, levando-a à sua advogada para orientá-la sobre a adoção. A advogada é Ilana (que morreu na dimensão da ilha no episódio anterior) e ela estava procurando Claire por ter sido citado no testamento do sr. Sheppard. Jack, seu filho e Claire encontram-se, mas a reunião fica adiada pois o médico tem que operar uma emergência – Locke.

James Ford (o Sawyer) que aprisionou Kate entrega-a para os federais, mas ele também acha esquisito ter encontrado tantas vezes a moça (no avião, no aeroporto, no acidente de trânsito) e comenta que parece que algo estava tentando uni-los. Indo em busca de um assassino, James prende Sayid.

Ben, que parece ter alguma simpatia pelo colega e professor substituto, John Locke, aguarda informações sobre sua melhora e sabe identificar o responsável pelo acidente, Desmond Hume, que por enquanto não está sendo perseguido.

Tudo indica que eles irão encontrar-se, ainda que não fique claro ainda em quais exatas circunstâncias.

Veremos.

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…