Pular para o conteúdo principal

DC Comics, Uma Retrospectiva - Parte 1: A era de platina

por John L. Censullo
Tradução de Ben Santana
Revisão da tradução[1] e comentários de Jamerson Albuquerque Tiossi (jamersontiossi@yahoo.com.br)


O "comic book" americano começou um século atrás, em março de 1897.

O primeiríssimo cartum de jornal em série, chamado de The Yellow Kid (O Garoto Amarelo), foi reunido pela Dillingham Company, reimpresso em forma de revista e distribuído em bancas de jornal.

Pelas próximas décadas, um punhado de reprints similares de tiras de jornal foram publicadas, com pouco impacto. Em 1933, Harry I. Wildenberg e Max C. Gaines, empregados da Eastern Color Printing Co., imprimiram 10.000 cópias de Funnies On Parade, 32 páginas de reprints de jornais dominicais como brindes para a companhia Proctor & Gamble. Gaines convenceu a Eastern Color que ele poderia vender coleções similares para outros anunciantes. Assim nasceu Famous Funnies: A Carnival Of Comics e Century Of Comics.

Em 1934, Gaines tinha certeza que os jovens pagariam $0.10 por tais revistas em quadrinhos. A Eastern Color imprimiu 35.000 cópias de Famous Funnies, Series 1, que esgotaram imediatamente nas bancas. Em maio, a Eastern Color lançou a sua primeira revista em quadrinhos contínua, Famous Funnies #1 (datada de Julho 1934). O palco estava montado.

No outono de 1934, o Major Malcolm Wheeler-Nicholson, que serviu no Exército americano de 1911 a 1924 e mais tarde tornou-se um escritor para as revistas "pulp", percebeu o que estava acontecendo e teve uma idéia. Já que o material de reprint estava se tornando cada vez mais escasso, ele começaria uma companhia e produziria material original para uma revista em quadrinhos! Depois de alugar um escritório em Manhattan, ele começou a recrutar artistas e escritores e foi atrás de financiamento. Ele formou a Nicholson Publication Co., Inc. e produziu a New Fun Comics # 1 (datada de Fevereiro de 1935).

A New Fun começou como uma revista em tamanho tablóide com uma capa colorida e 32 páginas interiores em preto e branco. Por causa das finanças não muito boas do Major, ele não ficava muito no escritório para pagar aos artistas o que tinha sido prometido, levando a muita má vontade e muita mudança na equipe. A única tira digna de nota veio de Cleveland, de dois rapazes chamados Jerry Siegel e Joe Shuster. A tira, que eles assinavam usando os pseudônimos de Legar & Reuths, era chamada Doctor Occult (Doutor Oculto) e estreou em New Fun Comics # 6 (datada de Outubro de 1935). Apesar de ter a intenção de ser mensal, o número 7 não apareceu até três meses mais tarde sob o nome de More Fun Comics. A revista começou a encolher para o que logo seria o tamanho padrão dos comic books. O Major continuou a adicionar cor ao interior, e o número de páginas se estabeleceu em 64.

Não ligando para a falta de sucesso de New Fun, o Major publicou uma segunda revista em 1935. O primeiro número de New Comics (datado de Dezembro de 1935) tinha 80 páginas, mas esse título logo foi reduzido para 64 páginas. Como a New Fun, essa revista oferecia aventura, comédia e aventuras escritas. No número 12, o título foi renomeado para New Adventure Comics. No número 32, o título veio a ser chamado de Adventure Comics[2].

No início de 1936, histórias dos primeiros cinco números de New Fun foram reunidos e reimpressos em uma edição única de 48 páginas chamada Big Book Of Fun Comics #1 (Primavera de 1936).
O último título que o Major teve participação, e aquele cujas iniciais daria o nome a linha, foi Detective Comics[3] (datada de Março de 1937), que chegou as bancas no início de 1937. A revista era para ter aparecido três meses antes, em 1936, e tinha a pretensão de ser a primeira a ser dedicada a um único tema, mas foi atrasada e perdeu para a Detective Picture Stories da Comics Magazine Company. O primeiro número da Detective Comics mostrava personagens como Slam Bradley, Speed Saunders, e Cosmo, o Fantasma dos Disfarces.

No fim de 1937 e no início de 1938, mais duas revistas de reprints foram produzidas. New Book Of Comics # 01 (datado de 1937) tinha 96 páginas e reproduzia porções da New Comics #1-4 e da More Fun #9. O segundo número (datado da Primavera de 1938) tinha também 96 páginas e reimprimia partes de More Fun #15-16.

Na primavera de 1938 os débitos do Major o pegaram e a Nicholson Publication Co., Inc. cessou de existir. Harry Donenfeld comprou a companhia e, junto com o seu contador J. S. Liebowitz, lançaram a Detective Comics, Inc.
O Major Malcolm Wheeler-Nicholson voltou a sua antiga carreira de escritor.
__________________________________________________________________

Referências

1. Ron Goulart's Great History Of Comic Books © 1986 by Ron Goulart
2. Comics: The Golden Age - The History Of DC Comics - Fifty Years Of Fantastic Imagination © 1987 by Schuster & Schuster, Inc.
3. Howard Keltner's Index To Golden Age Comic Books © 1976 by Jerry Bails
4. The Steranko History Of Comics, Volume One © 1970 by Jim Steranko
5. The Steranko History Of Comics, Volume Two © 1972 by Jim Steranko
6. The Overstreet Comic Book Price Guide, 28th Edition © 1998 by Gem Publications, Inc.
--------------------------------------------------------------------------------
[1] Nota da revisão: Ben Santana postou o texto traduzido, e como eu tinha fornecido os originais dignei-me a dar uma releitura e arrumar algumas poucas palavras que poderiam serem substituídas por outras mais adequadas. Foram poucas e o próprio Ben poderia corrigir a sete ou oito palavras, mas a partir daí coloquei o negrito os nomes e números das edições, nos nomes dos autores, personagens, editores e editoras e fiz os comentários e indiquei a edição nacional em que a obra foi publicada quando eu tinha esta informação.
[2] Sendo uma das revistas mais longevas da DC Comics só viria a ser cancelada na década de 1980, no número # 503. Retornou recentemente em 2009, após Crise Final.
[3] Detective Comics, série que ficaria famosa por introduzir o personagem Batman em 1939, no número # 27, é anterior à revista Action Comics, sendo que esta tem atualmente uma numeração maior graças ao formato semanal que durou entre Action Comics # 601 e # 642. Detective Comics durante um período no década de 1970 teve periocidade bimestral.

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

O único animal, Luís Fernando Veríssimo

O homem é o único animal...
...que ri
...que chora
...que chora de rir
...que passa por outro e finge que não vê
...que fala mais do que papagaio
...que está sempre no cio
...que passa trote
...que passa calote
...que mata a distância
...que manda matar
...que esfola os outros e vende o pêlo
...que alimenta as crias, mas depois cobra com chantagem sentimental
...que faz o que gosta escondido e o que não gosta em público
...que leva meses aprendendo a andar
...que toma aula de canto
...que desafina
...que paga pra voar
...que pensa que é anfíbio e morre afogado
...que pensa que é bípede e tem problema de coluna
...que não tem rabo colorido, mas manda fazer
...que só muda de cor com produtos químicos ou de vergonha
...que tem que comprar antenas
...que bebe, fuma, usa óculos, fica careca, põe o dedo no nariz e gosta de ópera
...que faz boneco inflável de fêmea
...que não suporta o próprio cheiro
...que se veste
...que veste os outros
...que despe os outros
...que só lambe os outros
...que tem cotas de emigração
...qu…