Pular para o conteúdo principal

Doctor Who [Arco 078]: Genesis of the Daleks

Continuando o ciclo de viagens do Doctor e seus companheiros Sarah e Harry Sullivan, o lorde do tempo é capturado pelo seu próprio povo e enviado para o passado no momento em que os perigosos Daleks foram criados, para impedir a criação ou tomar posse de alguma informação que se transforme em uma carta na manga contra os vilões.

[Localização no Continuum]
Genesis of the Daleks é O 78º arco da série de TV britânica Doctor Who, exibida pela BBC. É o quarto arco da 12º temporada. É composto de seis episódios com 25 minutos em média e foi exibido de 8/3/1975 a 12/4/1975.

[Trama]
Escrito por Terry Nation (criador dos Daleks) este arco consegue surpreender quando o Doutor e seus companheiros são enviados para o passado para impedirem a criação dos Daleks, o quê evidentemente torna-se um dos maiores fracassos do Doutor, usando como desculpa o respeito à cronologia dos fatos: a existência dos Daleks permitiu que dezenas de raças se aliassem e compartilhassem conhecimento para enfrentar os monstros. Não teria ele o direito de alterar este fato e criar uma realidade.

Enviado para o passado de Skaro onde o Doutor, Sarah e Harry deparam-se com duas raças (os Thals e os Kaleds) em guerra que exauriu seus recursos e agora estão retornando a armas mais simples, estando à beira da “guerra com paus e pedras” - uma excelente desculpa para não usar recursos com a construção de armas futuristas. De um modo geral o visual é bastante influenciado pelo nazi fascismo.

Logo a tensão do arco fica por conta de Davros, um cientista que conduziu experiências genéticas que ultrapassam o limite da moralidade e criou criaturas deformadas e contidas em uma carapaça de metal às quais chamou de Daleks. Durante o próprio arco Davros continua o processo de manipulação para extinguir completamente todo e qualquer vestígio de moral dessas criaturas.

O arco que é longo trata dos encontros e desencontros do Doutor e seus companheiros – separados no início, criando a certeza de que certamente o Doutor não retornaria ao futuro sem seus amigos – e a perda do “anel do tempo” um dispositivo fornecido pelos Time Lords para que a trupe retornasse após cumprida a missão. No meio do caminho os Mutos uma raça que vive exilada das cidades e já apresentava deformidades por contato com dispositivos químicos manuseados enquanto abasteciam um míssil – algo que faz novamente a série lembrar Planeta dos Macacos.

Em um lance inteligente, Davros percebendo que seus cientistas e militares não o seguiriam cegamente, cede segredos que permitem a superioridade dos Thals sobre os Kaleds, destruindo a cidade e reduzindo-os a uns poucos sobreviventes em um bunker.

Esta tensão sobre a fidelidade, somada aos desencontros e a perda do anel ampliam o arco, mas sem oferecer muita trama adicional. Davros morre – assim como eventualmente todos no bunker – assassinado pelas próprias criações que sobrevivem e acreditam serem a raça superior e que dominará o universo – tema caro ao nazi fascismo – mas ficam presos nos escombros do bunker.

Com isso o Doutor crê que atrasou o desenvolvimento dos vilões séculos. A questão mais presente na série é a hipótese de matar Hitler na infância, em função dos crimes que hipoteticamente aquela criança fará na idade adulta. Haveria espaço para isso com tais criaturas?

Genesis of the Daleks é considerado um dos melhores arcos da série. Teve versão em livro e áudio (lançado originalmente em LP) e em 2.006 foi restaurado para o formato de DVD.

-1
(Arco 77)
0
(Arco 78)
+1
(Arco 79)
Genesis of the Daleks


 
 

 
 


 
 
 

 
 
 
 


 
 
 

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

O único animal, Luís Fernando Veríssimo

O homem é o único animal...
...que ri
...que chora
...que chora de rir
...que passa por outro e finge que não vê
...que fala mais do que papagaio
...que está sempre no cio
...que passa trote
...que passa calote
...que mata a distância
...que manda matar
...que esfola os outros e vende o pêlo
...que alimenta as crias, mas depois cobra com chantagem sentimental
...que faz o que gosta escondido e o que não gosta em público
...que leva meses aprendendo a andar
...que toma aula de canto
...que desafina
...que paga pra voar
...que pensa que é anfíbio e morre afogado
...que pensa que é bípede e tem problema de coluna
...que não tem rabo colorido, mas manda fazer
...que só muda de cor com produtos químicos ou de vergonha
...que tem que comprar antenas
...que bebe, fuma, usa óculos, fica careca, põe o dedo no nariz e gosta de ópera
...que faz boneco inflável de fêmea
...que não suporta o próprio cheiro
...que se veste
...que veste os outros
...que despe os outros
...que só lambe os outros
...que tem cotas de emigração
...qu…