Pular para o conteúdo principal

Ex Machina, volume 4: Marcha à guerra

Ex Machina é uma série criada por Brian K. Vaughan (roteiro, criador de Y, o último homem) e Tony Harris (desenho, desenhista de Starman e SJA – O dossiê liberdade). Cobre o dia-a-dia do prefeito da cidade de Nova Iorque, Mitchell Hundred, durante o período 2002-2005.

Mitchell Hundred elegeu-se prefeito graças à uma coincidência bizarra. Ele foi atingido por uma explosão de um artefato ainda não explicado nesta altura da série e adquiriu o poder de falar com as máquinas – equivalente à “voz de Deus” da série Preacher.

Ele iniciou uma breve carreira como herói (Grande Máquina), mas ao salvar a segunda torre do World Trade Center decidiu que poderia fazer mais como político. Fazer realmente a diferença. Graças à popularidade foi eleito.

* * *

A série, já encerrada nos EUA, trata do dia-a-dia do prefeito, enquanto conta em flashbacks a infância e as incursões como herói. Nunca elas tornam-se o centro da história, mas um complemento. Até aqui. Neste volume o prefeito autorizou uma marcha contra a Invasão ao Iraque, daí para ele pessoalmente ser acusado de simpatizante desde movimento é pouco. Ele defende sabiamente que sou opinião pessoal pouco conta, o quê ele realmente acredita é que parte da população tem o direito de demonstrar sua indignação contra a Invasão.

Isso não impede uma ataque aos manifestantes e uma perseguição contra imigrantes, além de endurecimento da polícia.

Tudo é muito interessante, até que o leitor chega no complemento do álbum: Ex Machina Special. Numa história que se passa antes do atentado terrorista ao WTC, Grande Máquina enfrenta um “vilão” que conseguiu gravar sua voz e usar para controle de animais. Não é uma grande narrativa pois inverte os papéis, dando atenção à carreira de herói de Grande Máquina em detrimento da persona do prefeito.

Não é tão interessante quanto a primeira parte, mas não compromete a edição de R$ 19,90.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

A Saga do Quarto Mundo: Novos Deuses, volume 1 e 2

Ponto central a Saga do Quarto Mundo em New Gods (Novos Deuses em português) temos as aventuras de Orion sozinho ou auxiliado por Magtron e humanos. A parceria entre um deus e humanos seria evocada novamente em Os Eternos (1.976-78) do mesmo Jack Kirby. Em ambas as séries, após a parceria inicial os humanos seriam abandonados.

Aqui a macro-trama é que na Terra o deus maligno Darkseid tem pistas de uma fórmula chamada equação anti-vida ao qual deseja com objetivos próprios. Orion, filho de Darkseid mas criado pelo benigno Pai Celestial, é o nêmese de seu pai e está destinado a matá-lo.

Além de New Gods a Saga do Quarto Mundo foi publicada nos primeiros volumes das séries Mr Miracle (Senhor Milagre), Forever People (Povo da Eternidade) e Superman Pal's Jimmy Olsen (a única que não foi criação original de Kirby).

Originalmente New Gods foi publicada em série bimestral com onze números (março de 1972- novembro de 1972).

Em 1984 a DC Comics re-editou a série original em The New Gods,…