Pular para o conteúdo principal

O que são pacotes de software livre?

Imagine que sua empresa tinha uma necessidade específica de produção e que esta necessidade não havia sido implementada até então, você teria então dois caminhos básicos: ou comprava uma licença de uso de um software proprietário ou produzia seu próprio pacote de software livre/código aberto para o Linux – devemos lembrar que um software proprietário poderia ser desenhado para ser executado em qualquer ambiente, seja ele Unix, Linux ou ainda MS-DOS.

(REIS, 2003) esclarece que:
A este conjunto de autores e usuários interessados, freqüentemente é associado o nome de “comunidade de software livre” (ou comunidade open source). É importante deixar claro que este nome é uma forma conveniente de se referir ao total de pessoas envolvidas de uma forma ou outra com software livre, mas que não tem semântica própria definida. Em outras palavras, os desenvolvedores originais não consideravam necessariamente que estavam contribuindo para uma comunidade, ou mesmo que esta comunidade existisse.
Apesar disto, se entende que havia característica entre os desenvolvedores: a) desenvolviam softwares livres, através em uma licença que permitisse isso; b) guiavam-se pelo princípio de valores de produção e excelência do UNIX e c) trabalhavam em isolamento geográfico, unindo-se à comunidade através da Internet e do conhecimento do idioma inglês.

Com o tempo estes pacotes, ou seja, conjuntos de softwares, ganharam mais visibilidade com a criação de listas de discussões, sítios de repositório de código gerado e então comunidades que desde o primeiro momento entendiam serem “comunidades de software livres” e não apenas um centro de discussão de problemas e soluções.

--------
(REIS, 2003)
Christian Robottom Reis, Caracterização de um Processo de Software para Projetos de Software Livre, disponível em acesso em 19 de janeiro de 2.008 às 20:31, Dissertação apresentada ao Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da Universidade de São Paulo para a obtenção do título de Mestre em Ciências da Computação e Matemática Computacional, São Paulo, 2003.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!