Pular para o conteúdo principal

Sobras

A cada evento as editoras de quadrinhos lançam uma série de edições relacionadas. Se, em 1.989 quando a DC fez Invasão! o comum era que as histórias envolvendo o Superman e o evento fossem narradas nas próprias séries mensais do herói, na década de 2.000 o padrão é que o personagem ganha uma minissérie separada para vender em dobro – sua própria série e a minissérie relacionada ao evento.

A cada novo evento surgem uma penca de heróis novos e brilhantes que não duram uma temporada completa.

Em Invasão! (1.989), série da DC Comics que tratava sobre a invasão da Terra por nove raças alienígenas, a questão era o risco do nosso planeta em gerar super-seres. Durante uma pesquisa dos dominions - uma das raças invasoras - alguns humanos sobrevivem a um massacre, quando o normal seria nenhum. Estes sobreviventes ganharam um especial e uma série “Blaster” por Peter David & James Fry (mesma equipe de Star Trek).

O personagem mais conhecido da série era Snapper Carr, um mascote da Liga da Justiça que até hoje frequenta a cronologia DC. Recentemente esteve envolvido com o Xeque-Mate e Crise Final.

Para não dizer que esta foi a única série lançada depois de Invasão! tivemos a L.E.G.I.Ã.O. uma série sobre uma força pacificadora intergaláctica fundada por ancestrais dos membros da Legião dos Super-Heróis. Num constante vai e vem de qualidade, especialmente em função do tom errado – a série geralmente falava sobre a transformação de boas idéias em uma ditadura militar – que nunca foi absorvido em sua plenitude pelos leitores, a equipe sofreu vários cancelamentos mas atualmente continua a agir no DCU, numa série chamada R.E.B.E.L.S. volume 2.

Caso famoso é o dos Novos Guardiões, grupo criado no evento anterior da DC – Milênio (1.988). Neste evento alguns humanos iriam evoluir mil anos (o milênio do título da série). Evoluídos, ganharam uma série mensal para mostrar suas aventuras, o quê não durou um ano.

Ninguém queria ver os tais substitutos dos Guardiões de Oa – aquela raça que agrega a Tropa dos Lanternas Verdes.

Com as mudanças na Tropa então, o título teve uma sobrevida, mas logo a Tropa foi reconstruída e descobriram que tudo não passou de um erro de avaliação.

E muito constante na indústria.

Especialmente depois que a Marvel colocou suas ações na bolsa de valores. Em síntese a cada trimestre a Marvel tem que enviar novos relatórios de vendas para manter o interesse e valor de suas ações. Para vender mais eles fazem eventos a cada momento mais bombásticos, mais gigantescos, não só em concepção mas também gigantes em número de edições relacionadas.

Guerra Civil da Marvel (veja aqui), A noite mais densa da DC ou Invasão Secreta da Marvel facilmente ultrapassam mais de duzentas edições relacionadas – entre prelúdios, tie-in, cross-over, séries especiais, série principal e epílogos.

No final fica-se como em Invasão Secreta, ou seja, com a absoluta certeza de que poderia ter sido contada em 3 números em vez de 8, ou como a sensação que temos ao ler a tonelada de leitura complementar: tudo isso era mesmo necessário? Ou era apenas sobras de reuniões para que se sugerissem idéias?

Tão acostumado a consumir tanta sobra, o leitor nem se dá conta quando surge algo novo, original, feito e pensado no formato em está sendo apresentado, e não apenas uma revisão de conceitos, valores, mudanças de tons e relançamento de idéias requentadas.

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

O único animal, Luís Fernando Veríssimo

O homem é o único animal...
...que ri
...que chora
...que chora de rir
...que passa por outro e finge que não vê
...que fala mais do que papagaio
...que está sempre no cio
...que passa trote
...que passa calote
...que mata a distância
...que manda matar
...que esfola os outros e vende o pêlo
...que alimenta as crias, mas depois cobra com chantagem sentimental
...que faz o que gosta escondido e o que não gosta em público
...que leva meses aprendendo a andar
...que toma aula de canto
...que desafina
...que paga pra voar
...que pensa que é anfíbio e morre afogado
...que pensa que é bípede e tem problema de coluna
...que não tem rabo colorido, mas manda fazer
...que só muda de cor com produtos químicos ou de vergonha
...que tem que comprar antenas
...que bebe, fuma, usa óculos, fica careca, põe o dedo no nariz e gosta de ópera
...que faz boneco inflável de fêmea
...que não suporta o próprio cheiro
...que se veste
...que veste os outros
...que despe os outros
...que só lambe os outros
...que tem cotas de emigração
...qu…