Pular para o conteúdo principal

Lost, a última temporada: Funcionou!

Como metade dos aficcionados por Lost que tem acesso à internet e sabem baixar arquivos e legendas eu já assisti ao episódio de estréia da sexta e última temporada da série. É um episódio duplo, com 1h 22min de duração e também quer dizer que só faltam quinze (13 + outro duplo) episódios para terminar a série mais badalada da década passada.

O episódio é fácil e acessível sem as complicações anteriores da série. E,daqui para a frente, neste post só haverá spoilers que poderão estragar a surpresa de quem assistir ao episódio semana que vem no AXN (tv por assinatura), na Globo (quando a emissora comprar a série) ou no box (quando terminar a temporada e for lançado).

Primeiro a bomba explodiu realmente!

Mas qualquer fã de quadrinhos e sci-fi sabe que se alguém retornar no tempo e tentar alterar a história a pessoa irá criar uma divergência na linha do tempo. A realidade que a pessoa veio continuará a existir e surgirá uma segunda com a alteração provocada pela viagem no tempo. Os casos são fartos na literatura de sci-fi e nos quadrinhos. Procurem e vejam.

Então, com a explosão no passado a ilha afunda na nova realidade e o vôo Oceanic 815 chega em Los Angeles e temos tomadas que ocupam cerca de metade do episódio com o desdobramento do que aconteceria se o avião pousasse. A informação mais importante desta realidade alternativa é que o caixão do pai de Jack Sheppard jamais esteve no vôo. Isto é realmente importante saber.

Já na realidade original, com a explosão Juliet, Sawyer, Kate, Jack, Hugo, Miles, Jin e Sayad são deslocados no tempo novamente para o presente e ficam com a impressão que a fórmula defendida por Jack falhou.

Juliet, que morre nos escombros, usa Miles para avisar à Sawyer que funcionou, mas ele não é capaz de compreender a mensagem.

Eu sempre defendi que o monstro de nanotecnologia (a tal fumaça) poderia assumir a forma humana. Acho que escrevi isto, lá atrás em alguma edição de Crash. Se não foi aí, deve ter sido em alguma lista de discussão.

Eu defendia que o pai que Jack via vivo era uma manifestação do monstro, assim como várias ilusões que outros personagens viam na ilha (Hugo, por exemplo, via um amigo do sanatório).

É verdade!

Ou pelo menos o episódio deixa claro isto. O John Locke que estava agindo na ilha era o monstro que tomou forma humana. Locke estava morto, sempre esteve e a ilha nunca, jamais, retornou alguém à vida – o quê não impede que fantasmas apareçam a torto e a direito, como neste episódio um fantasma aparece para Hugo.

Quando Jack via o pai, lá na primeira temporada, ele via, na verdade, uma manifestação do monstro, o quê agora ficou provado, já que o caixão nunca chegou na ilha. Só para lembra-los naquela época as aparições do monstro eram bem mais freqüentes.

Simples.

Então o quê teremos agora?
O monstro quer voltar para casa, que aparentemente é um lugar além da ilha e que os Outros teriam o acesso ou seriam os guardiões. Tudo indica que serão atacados pelo monstro. No templo estão os deslocados no tempo ainda vivos (há 2 mortes no episódio).

Na nova realidade os autores deixam alguns detalhes, como a aparição de Desmond no vôo, para deixar confuso o espectador. Se esta versão de realidade alternativa não “pegar” no público, simplesmente se diz que é um sonho comprido de Jack e a coisa funcionará.

É uma forma comum de deixar pontas soltas para esperar a reação do público --- Veremos se vai funcionar.

Na ABC o episódio passa na terça-feira e farei os posts até a conclusão da temporada na sexta ou sábado.

Acompanhem!

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…