Pular para o conteúdo principal

A saga do relâmpago (2.007)

Publicada em Justice League of America v2 # 8-10 e Justice Society of America v3 # 05-06 (2007), e traduzida pela Panini Comics em Liga da Justiça # 66-68 e Universo DC # 12-13 (2008) o arco é escrito por Brad Meltzer & Geoff Johns, desenhado por Shane Davis, Fernando Pasarin, Ed Benes e Dale Eaglesham e finalizado por Matt Banning, Pasarin, Benes, Ruy José e Sandra Hope.

É basicamente um encontro entre as equipes e não exatamente uma “crise”. Profundamente marcado pelo estilo de narrativa dos anos 2000 a história não começa nem termina definitivamente aqui. Um pouco longo, com cinco partes, dá-se a impressão de que em alguns momentos não há coesão na história, o quê é um engano. É um encontro típico: as equipes se reúnem e há uma ameaça!
Lembre-se que não há referência ao encontro anterior das três equipes simplesmente por que ao voltar para o passado o Lanterna Verde Hal Jordan apagou a memória dos membros da Sociedade e Liga da Justiça.


Em flash-back aparecem cenas de Per Degaton, Ultra-Humanóide e Despero que ainda não foram plenamente esclarecidas até 2009 e podem ter relação com as viagens no tempo da série do Gladiador Dourado, também escrita por Geoff Johns.
Ao tentar romper uma lavagem cerebral em um membro da sociedade Tridente, Batman descobre o Karate Kid.
Sabendo através do computador da Fortaleza da Solidão que ele é membro da Legião dos Super-Heróis, chamam o membro da Sociedade da Justiça (as equipes estão interagindo, trocando experiências, táticas e treinamentos de campo), Starman que pronuncia uma palavra chave (relâmpago) que recupera a memória do legionário e explica que sete membros da equipe do futuro estão no passado, enviados por Brainiac 5 para cumprir uma missão misteriosa.

A partir daí o arco tem a função de descobrir os membros da Legião que estão no passado e tentar adivinhar a missão, cujos objetivos não ficam claros.
Sonhadora é resgatada de um breve encontro com Doutor Destino (veja Sandman – Prelúdios & Noturnos) no Asilo Arkham; Pulsar é resgatado na sala da Legião na Fortaleza da Solidão; Lobo Cinzento na Cidade Gorila; Vésper em Thanagar – e nesta passagem fica claro a tensão sexual entre Arqueiro Vermelho e Moça-Gavião, além de uma breve narrativa do envolvimento de Gavião Negro e Poderosa durante a reconstrução de Thanagar que faz parte de Um ano depois, a seqüência também sugere que Vesper tenha preferências homossexuais, daí talvez seu envolvimento com Pulsar – e no Pântano da Matança, localização clássica de uma das sedes da Legião do Mal, as equipes do presente são iludidas pela Princesa Projecta.
Na última parte os heróis do futuro, fazendo referência à uma história clássica, irão se sacrificar para que alguém retorne da Força de Aceleração, e durante toda a série as evidências apontam para o retorno de Flash II (Barry Allen), porém quem retorna é Flash III (Wally West) e sua família, aprisionados na Força deste Crise Infinita.


Ninguém morre e sem dar maiores explicações, frustrando tanto o leitor quanto Superman e as duas equipes de heróis a Leigão vai embora.

Os Legionários retornam ao futuro com exceção de Starman que continua com a Sociedade, mas está insano, e Karate Kid (que recebe uma nova missão, veja Contagem Regressiva).

Veja aqui a listagem de todas as crises
.

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…