Pular para o conteúdo principal

Boas histórias em O Manicômio do Coringa

A DC Comics há anos tem pequenos eventos em uma série de especiais, que não recebem muito holofote. Girlfrenzy é um destes, e O manicômio do Coringa é outro.

Certamente criado pelo sucesso do filme “Batman, o cavaleiro das trevas” esta série de especiais tem o príncipe palhaço do crime como mestre de cerimônias para narrar cinco histórias sobre ele e seus comparsas. Em “O Coringa pega leve!” de Arvid Nelson & Alex Sanchez, temos a incursão do criminoso em um programa de auditório; em “Quem ri por último” de Jason Aaron & Jason Pearson o Pingüim encontra um verdadeiro amor, mas não consegue largar velhos hábitos; em “Desflorada”, de JT Krul & Guillem March, Hera Venenosa dá vazão à sua vocação ecoterrorista extrema; em “O cavaleiro das trevas do Espantalho” de Joe Harris & Juan Doe, uma noite de brincadeira de colegiais deixa espaço para o Espantalho agir e finalmente em “Duas-Caras também!” de David Hine & Andy Clarke, Duas-Caras encontra alguém marcado como ele. Peço atenção à arte pouco convencional de Juan Doe e à eficiência de Andy Clarke.

As histórias são leves contos de moral, temperados com o sadismo próprio do príncipe palhaço do crime, lembrando a estrutura de “Tales from the crypt” e servem como um bom passatempo sem comprometer em nada as lendas da galeria sinistra do Batman, ainda que a história de Hera Venenosa seja por demais previsível.

Se você tiver R$ 9,90 sobrando, aproveite, por que a Chinaglia está fazendo a redistribuição desta edição distribuída originalmente em março de 2009.

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!