Pular para o conteúdo principal

Livro do mês: O hobbit


Na contra-capa de "O hobbit" está uma daquelas citações de críticos que não levam a lugar algum "O mundo está dividido entre aqueles que já leram O hobbit e O senhor dos anéis e aqueles que ainda não leram" (The Sunday Times). Devo confessar que estou ainda na segunda categoria, pois acabei de ler O hobbit, mas ainda não li O senhor do anéis, algo que tentarei fazer nas próximas semanas.

Ler O hobbit é legal especialmente agora que Peter Jackson & Guilhermo Del Toro estão envolvidos na produção de um filme com a história do livro.

Escrito em 1.937 para os filhos de Tolkien "O hobbit" (J.R.R. Tolkien, Editora Martins Fontes, 2009, 3ª edição) é exatamente isto: uma história para crianças. E neste caso específico sequer chega a ser uma fábula pois não tem moral, é apenas uma aventura, uma sucessão de eventos onde impreterivelmente as coisas vão dando certo, até que raramente dêem errado.

Tudo lembra uma sessão de RPG onde o mago convoca um ladrão (Bilbo Bolseiro, o hobbit do título, que não deseja viver a aventura proposta) para acompanhar anões em busca de um tesouro que é guardado por um dragão. Para chegar ao tesouro terão que viajar metade de um mundo cheio de criaturas místicas (trolls, orcs, águia e aranhas gigantes, homens-ursos, elfos e povos afastados) e chegando lá, pode ser que parte de seus objetivos mudem.

Não é um grande romance, já que é muito previsível, não é uma grande aventura, já que não tem muita ação e sim, longos diálogos, resolvendo muitos problemas na base da mais pura reflexão ou simplesmente jogando uma ação principal para um grupo secundário de personagens (como o enfrentamento com Smaug), mas vale como curiosidade como prelúdio de O senhor do anéis, já que é lá que surge Gollum e o famoso anel no excelente capítulo "Advinhas no escuro".

Só não sei dizer se apenas o fato de ser prelúdio para a trilogia sustenta o livro...

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!