Pular para o conteúdo principal

Os mortos-vivos vol 2: Caminhos Trilhados

Em novembro de 2.006 a HqManiacs Editora trouxe o segundo encadernado da série em quadrinhos norte-americana The Walking Dead, escrita por Robert Kirkman e publicada nos EUA pela Image Comics.

O encadernado reúne as edições #7-12 da série original que agora tem um novo desenhista, Charlie Adlard (lápis e finais) e continua com os tons de cinza nas mãos de Cliff Rathburn. Adlard ainda continua na série nos EUA.

[A trama]
Depois do trágico fim de Shane, Rick Grimmes assume o fardo de orientar o grupo de sobreviventes e tentar encontrar o governo. Eles encontram um condomínio infestado por andarilhos (ou errantes, ou seja, os walkies, como são chamados os zumbis na terminologia da série) e posteriormente a fazenda de Hershell Greene.

Carl, filho de Rick e Lori é ferido acidentalmente por Otis e levado para a fazenda, onde Hershell, um veterinário, o opera. O grupo que havia recebido o acréscimo de Tyreese (que logo inicia um romance com Carol), Julie e Chris, ela filha de Tyreese, é bem recebido na fazenda, ainda que se choque com os valores de Hershell que acredita que a praga tem cura se for possível aguardar um pouco. Portanto deixar seus familiares e amigos zumbificados no celeiro da fazenda.

A perda de Amy, irmã de Andrea, dá espaço ao envolvimento entre a jovem e o idoso Dale e o grupo se recorda da perda de Jim, ferido e transformado lentamente no volume anterior. Donna, a senhora cheia de valores rígidos, falece vítima de um zumbi e deixa seu marido, Allen, profundamente abalado. Mas a entrada de Hershell e Otis introduz uma série de outros personagens: Lacey, filha mais velha de Otis, Arnold, filho, Maggie, Billy, Rachel, Susie e Patrícia (namorada de Otis).

Maggie inicia um romance com Glenn na base do hedonismo. A tensão permanece no grupo especialmente agora que se descobre a gravidez de Lori, com um filho que certamente não é de Rick. Para piorar o choque de valores entre o grupo e os moradores da fazenda talvez não permita que fiquem ali.

[Crítica]
O andamento da série no início era diferente. Acontecia muita coisa em pouco tempo. Nestes dois volumes é fácil perceber isto. Shane more rapidamente (na última edição do volume anterior), Donna morre no condomínio e rapidamente Hershell descobre que está errado sobre a recuperação dos zumbificadores, perdendo no processo a filha Lacey e o filho Arnold. Uma das características era a chegada e saída de personagens e alguns que ficam para trás como Glenn, que quando o grupo de Rick decide seguir, escolhe permanecer na fazenda para manter o relacionamento com Maggie.

Hoje Kirkman transformaria estas seis edições em talvez dezoito, facilmente. Mas não perdeu a força. No início era necessário impacto para exibir a viabilidade comercial da história. Hoje, já estabelecida para os padrões Image Comics, cerca de 40-45 mil cópias, mais presença constante no TOP 10 de encadernados, The Walking Dead já tem uma narrativa própria, o quê não impede que às vezes pareça lento.

Para os espectadores da série de TV estes dois encadernados são a fonte de inspiração para os eventos das duas temporadas. Vale a pena conferir como as coisas foram levemente diferentes nos quadrinhos.
 
[Volumes de Os mortos-vivos]

Vol.
Lançamento
Edições #
Título
01
05/2006
#1-6
02
11/2006
#7-12
03
04/2008
#13-18
Segurança atrás das grades
04
10/2009
#19-24
Desejos carnais
05
07/2011
#25-30
A melhor defesa
06
10/2011
#31-36
Vida de agonia
07
12/2011
#37-42
Momentos de calmaria
08
03/2012
#43-48
Nascido para sofrer

Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!