Pular para o conteúdo principal

Justice League Doom (2012)

Levemente baseado no arco JLA – Torre de Babel, escrito por Mark Waid e com arte de Howard Porter, Justice League Doom, o primeiro filme da DC Comics/Warner em 2.012 tem produção de Bruce Timm e da mesma equipe dos filmes anteriores, além de roteiro adaptado do falecido Dwayne McDuffie.

Após um encontro da Liga da Justiça com a Gangue Royal Flush, o Mestre dos Espelhos invade o computador da batcaverna e tem acesso aos protocolos do homem morcego para derrotar os membros da própria equipe. Não pense que o plano é do tolo Mestre, pois tem está por trás é Vandal Savage, um homem das cavernas de evoluído física e mentalmente. Savage deseja consolidar seu poder e controlar novamente o destino da humanidade e para isso irá destruir 2/3 da população mundial. Disposto a concretizar isto, paga a uma série de criminosos para utilizarem os protocolos e eliminar a Liga.

McDuffie preferiu fundir o arco Torre de Babel com arcos antigos que envolviam a Sociedade Secreta dos Super-Vilões, aqui chamada de Legião do Mal como em uma das temporadas do desenho Super-Friends. O autor também alterou a formação do grupo, dando espaço para personagens para Bane e Safira Estrela, que tem relevância em função de filmes em live action recentes. Afastou um vilão importante da homem morcego – a cabeça do demônio – e o substituiu por Savage, que funcionou perfeitamente, aqui despido de qualquer referência à 2ª Guerra, tão comum na série Justice League/Justice League Unlimited do Cartoon Network.

Em síntese, nos quadrinhos em algum momento da antiga cronologia os vilões da SSS-V descobriram as identidades dos membros da Liga e atacaram a equipe o quê levou anos depois aos eventos de Crise de Identidade e Crise de Consciência.

A animação é feita para capturar os fãs atuais da série em quadrinhos da Liga. Tem Cyborg (dos Novos Titãs) como consultor científico e Hal Jordan como Lanterna Verde, exatamente como a série atual The New 52: Justice League. O final também é mais simpático com a visão de controle do Batman e durante anos foi criticada na equipe.

Uma boa diversão.































Postagens mais visitadas deste blog

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas porque há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas porque ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.
Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.
Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.
A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.
Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.
Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.
Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.
Após enterrar uma bomba de hidrogênio…

EaD: Como estudar sozinho em casa

Árvore genealógica do Superman

Em Krypton Chronicles, uma série que contava a história dos ancestrais de Kal-El a DC publicou a árvore genealógica abaixo.

Divirta-se!