Pular para o conteúdo principal

Bem vindo a Astro City

Homem muda-se para Astro City com as filhas, após o divórcio, tencionando construir uma nova vida.

Está em dúvida em relação à sua decisão e a cidade não ajuda: confrontos entre Samaritano e vilões científicos ou a ameaça de um deus que teve a esposa raptada não facilitam a sua decisão.

Sutil, Kurt Busiek transforma o rapto da esposa do deus um mero adereço na trama, enquanto alguns roteiristas iriam em busca das motivações para o rapto, o rapto em si, a busca das pistas e o resgate.

Nada disso importa.

O quê importa na história é estar ciente de não podemos controlar tudo. Há coisas que fogem ao nosso controle e só estaremos de bem com a vida se fizermos as pazes com estes fatos e aceitarmos que não temos controle absoluto sobre a vida.

Deliciosa a história publicada originalmente em KURT BUSIEK'S ASTRO CITY volume 2 #01 reapresenta os principais personagens da trama e o tom que a série terá: ressaltar a importância do homem comum ou dos sentimentos comuns que os super-seres tem.

Publicada originalmente pela Homage, um selo da WildStorm de Jim Lee, na época ainda um dos estúdios que formavam a Image Comics, a história foi publicada no Brasil pela Pixel Editora na série Pixel Magazine. Arte de Brent Anderson.


* * *

Sou fã de Kurt Busiek e da série Astro City. Gosto de tudo que Busiek escreveu com maior ou menor intensidade. Marvels, Os Vingadores, Liga da Justiça/Vingadores, Conan, Superman e lamento a série Trindade. Estas obras estão entre minhas releituras preferidas. Mas Astro City tem um lugar especial em meu coração.

Quando escrevo sobre a série evito ressaltar o fato que os heróis do universo de Astro City são releituras dos personagens clássicos de todas as editoras. Busiek trabalhou nos arquétipos e criou mitos que se assemelham aos personagens clássicos que existem no imaginário dos quadrinhos. No entanto, como os personagens de Busiek envelhecem e morrem é difícil dizer que determinado personagem é a “versão Astro City” de outro. No máximo são histórias sobre uma família aventureira, um velocista, uma boneca androide, sobre um homem com grande força física e um ideal inalcançável que se sacrifica diariamente para tornar o mundo melhor ou ainda sobre um vigilante sombrio que aceita a presença de um parceiro mirim.

As histórias são tocantes, o roteiro é envolvente e a cada momento o status qüo se altera. Personagens se aposentam. Um pai percebendo que é mais importante a vida em família do que o combate ao crime repensam suas vidas e abandonam a vigílias.

Astro City não é uma série perfeita, mas exibe o que há que melhor e mais relevante numa série de super-heróis. As soluções mostradas exibem uma maturidade sem par e fazem-nos crer que muito da bobajada que lemos nas majors não tem responsabilidade nenhuma dos autores. É apenas um trabalho contratado para refletir as ideias dos editores ou da empresa.

Longa vida para Astro City!

E espero que a Panini Comics retome a publicação da série. Há pelo menos duas séries longas inéditas: Local Heroes (4 partes) e Dark Ages (4 volumes de 4 partes cada).

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…