Open top menu
sexta-feira, 4 de junho de 2010

A economia das temporadas das séries inglesas, em geral com apenas oito episódios, deveria ensinar algo aos americanos. A rede de TV HBO já aprendeu algo e desde que iniciou a produção de séries, o faz com economia, apresentando em geral doze episódios, no máximo, catorze por temporada.

Esta medida simples cria uma série enxuta, com tramas possíveis de serem acompanhadas e terem sentido real e não apenas jogar uma dezena de coisas para o público e ir pescando o quê funciona.

Battlestar Galactica, série do Sci-Fi Channel (hoje SyFy por que não podia registrar a marca Sci-Fi, uma palavra de uso correnta da língua inglesa) conseguiu reduzir um pouco estes problemas com a divisão em blocos de dez episódios, criando duas temporadas em uma.

V (2009), série de TV que assim como Galactica, recria uma série antiga, será certamente lembrada pelo rosto da atriz brasileira Morena Baccarin e pelos cenários digitais feios. Metade da série é filmada usando a tecnologia do fundo azul, para na pós-produção receber via computador os cenários. O resultado é perceptível e geralmente risível, especialmente nestes tempos de tanto uso da mesma tecnologia com resultados superiores.

V (2009), termina sua temporada na ABC norte-americana com doze episódios, mas com gosto de trama mal elaborada, feita nas coxas para abastecer a imaginação dos fãs de ficção científica.

A imagem mais forte é a evocação dos céus vermelhos no episódio final (Red Sky em inglês) lembrando tramas dos quadrinhos como “A trilogia de Galactus” e a clássica “Crise nas Infinitas Terras”.

Em ambas o céu vermelho significava mudanças e ameaças próximas, aqui se tem a impressão que a única real ameaça é V não conseguir manter o público no canal norte-americano após o final de Lost.
Tagged
Different Themes
Written by Lovely

Aenean quis feugiat elit. Quisque ultricies sollicitudin ante ut venenatis. Nulla dapibus placerat faucibus. Aenean quis leo non neque ultrices scelerisque. Nullam nec vulputate velit. Etiam fermentum turpis at magna tristique interdum.

0 comentários