Pular para o conteúdo principal

Salvem Conan!

Há cerca de três anos eu colaborava com o sítio eletrônico da editora HqManiacs e enviei um rascunho de texto chamado “Salvem Conan” onde já mostrava o temor do encerramento da série.

Na época a revista “Conan” de Kurt Busiek & Cary Nord, voltava à distribuição setorizada e o editor falava abertamente que algumas séries relacionadas estavam dando prejuízo.

Eu acreditava que era o melhor material de Conan em anos; e se o melhor estava vendendo pouco, imaginem o resto.

Timothy Truman substituiu Busiek, que saiu lá pelos números 30, e levou a série até o 50º número, sendo cancelada e substituída nos EUA por Conan, the cimmerian.

Com vendas pequenas a Mythos acertadamente não se interessou pelo material, mesmo com a possível atenção que viria a ser gerada por um possível filme – a produção enrolada, só começou há pouco.

Agora cancela a série “Conan, o bárbaro” que trazia material p&b da série The Savage Sword of Conan e tiras de jornais, além de outros materiais.

Conan foi sinônimo de vendas durante anos na Abril. Teve tantas séries que é impossível listar sem esquecer algo. Na metade da década de 1.990 a Marvel reiniciou as duas principais séries do personagem, mas logo não renovou a licença e Conan deixou de ser publicado nos EUA. Isto, somado a baixas vendas, fez com que a Abril encerrasse a série nacional.

A Mythos assumiu, dando seqüência aos planos da Abril de republicar os números iniciais da série Conan, the barbarian, originalmente em cores agora em p&b. Depois publicaram “Conan” apenas quatro meses depois de editado nos EUA e tiveram um sucesso parcial. A série que começou com distribuição setorizada evoluiu para distribuição nacional. A festa durou cerca de dois anos e começou a retração.

O mercado está em retração! Séries vendem 30% de tiragens de menos de 10 mil exemplares. A Panini tenta fazer uma revolução e faz uma revolu$ão, onde lança revistas com valor absoluto mais baratas – e proporcionalmente mais caras – e arrisca afastar o leitor.

Resta ao leitor esperar e ver quem será o próximo da lista de cancelamentos. Títulos estabelecidos como Tex?

Talvez você assim como eu, não compre Tex ou Mágico Vento na banca, mas somente nos sebos onde o valor está entre R$ 1,00 - R$ 1,50. O mesmo vale para os mangás. Só a R$ 1,00!

O que me afasta do número novo de Tex e de Mágico Vento é o preço, não a qualidade que conheço e certifico.

Quando isto alcançará os títulos de personagens americanos como Batman e Superman?

E pior: farão alguma falta, realmente?

Salvar Conan era uma maneira de entender as deficiências do mercado e tentar corrigi-las. Conan, a série, se foi num ano que estão produzindo filme com o anti-herói.

Mais publicidade que isto impossível!

Ainda assim a Mythos fez a contas e viu que não era interessante. Fazer as contas é importante. É bom lembrar que a editora anunciou que poderá lançar especiais e encadernados com o personagem. Ou seja, ainda retêm os direitos, mas evidentemente esperará a expectativa criada por uma produção nova para cinema chegar ao mercado.

Quem mais morrerá para que percebam que há necessidade de se mudar o mercado?

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…