Pular para o conteúdo principal

Quando mundos colidem!

Em outro universo, em outra dimensão, existe uma Terra muito semelhante à nossa, onde se ergue uma gigantesca metrópole chamada DAKOTA. Até pouco tempo atrás, Dakota enfrenta o incontornável problemas das gangues e das sangrentas guerras travadas entre ela. Para erradicar de vez esse problema, as autoridades detonaram uma bomba no bairro Paris Island, que exterminou quase toda a população. Contudo, houve um efeito colateral nos sobreviventes. Eles ganharam superpoderes.
Agora, graças a uma misteriosa disfunção metagenética em um carteiro inocente, as barreiras dimensionais estão sendo rompidas e esse mundo está se chocando com o nosso.(...) Texto introdutório da saga publicado na revista Superboy # 9.

Para efeitos cronológicos nas aventuras do Superman estas histórias ocorrem imediantamente após Superman – A queda de Metropolis.

Man of Steel # 35 – 1994/Superboy # 9 – 1ª série, Editora Abril Jovem (ago/95) – Um carteiro sofre um acidente em Metropolis e acorda em Dakota, sendo perseguido por um monstro de seus sonhos.

Metropolis sofre com as perdas provocadas em A queda de Metropolis e o nosso herói continua enfrentando ameaças, como um robô que mata a Myra, guardiã do garoto Keith.

Seguindo o conselho do Professor Hamilton, Bentson, o carteiro, vai ao Laboratório de Stress e a equipe descobre que ele conecta-se com outra dimensão.

Hardware # 17/Superboy # 9 – Fred Bentson acorda em Dakota, onde Alva o patrão de Hardware planeja em um experimento fazer o seu agente contactar a nossa realidade. O experimento é bem sucedido e Hardware chega em Metropolis onde enfrenta gangues e descobre em um espelho que tem uma espécie de outro nesta realidade, o herói Aço! Eles retornam à Dakota.

Superboy # 6/Superboy # 9 – Nesta aventura do Superboy descobrimos que o Projeto Cadmus não foi totalmente destruído como foi dado à entender. Depois de uma rápida visita do homem e do garoto de aço, e do anúncio de que curou-se da moléstia que vinha atacando os clones, Superboy tem que enfrentar o Parasita (que ainda está com a energia extra que absorveu do Superman).

Após derrotá-lo, Superboy salva o carteiro Fred, mas uma preda faz o elo de ligação entre as dimensões desmaiar e transportar-se e ao Superboy para Dakota!

Icon # 15/Superboy # 10 – Rocket, parceira do Ícone, auxilia Superboy e Fred, e na tentativa de explicar o quê está havendo surge o conceito de que uma das Terras é fruto da imaginação de Fred.

Depois de manifestar alguns pesadelos Fred é salvo por Ícone, e juntos levam o carteiro para o laboratório de Alva, onde uma nova tentativa de acesso levará Superboy, Fred, Rocket e Hardware novamente ao nosso universo.

Steel # 06/Superboy # 10 – Aço leva o seu sobrinho Jemahl para o hospital por causa do super-breu que o garoto tomou, e resolve atacar a Amertek de vingança. O coronel Weston confirma que uma agência chamada Operações Negras estão agindo em Washington, e isto é oportunidade para surgirem mais vilões e coadjuvantes. Um cientista das Operações Negras, chamado Spencer, decifra que Fred é um elo de ligação e que um cientista do outro mundo está enviando uma equipe de meta-humanos.

Superboy, Rocket e Hardware surgem e enfrentam agentas das Operações Negras. Aço e Hardware enfrentam antes que alguém esclareça que eles estão do mesmo lado. Alva em Dakota e Hazard em Metropolis, usando equipamentos fazem Fred acordar em ambos os mundos!

A Ponte Hobsneck é restaurada em Metropolis, em resposta à restauração de uma ponte em Paris Island, Dakota.

Blood Syndicate # 16/Superboy # 10 – O Sindicato do Sangue, que tem suas próprias tramas secundárias independentes desta saga, verifica a destruição de Dakota e ao atravessar a ponte em seu mundo vem parar em Metropolis, onde encontram Lois Lane e enfrentam o homem de aço!

When worlds colide!/Superboy # 11 – Superboy volta à Dakota, e a imaginação de Fred cria seres de fantasia. Static toma um lugar de destaque na trama fazendo trio com Superboy e Rocket, e a paritr deste momento os cidadões de Dakota comentam sobre revistas em quadrinhos com aventuras dos heróis de Metropolis. Fred começa a resistir à prisão imposta por Hazard e por Alva e assume uma forma gigantesca declarando-se “deus” desta realidade.

Superman enfrenta o Sindicato que para sua surpresa revelam saber sobre Clark Kent! Fred, em sua forma de “deus” destrói Paris Island, provocando uma gigantesca onda que ameaça as cidades em ambas as realidades.

Superboy # 7/Superboy # 12 (nov/95) – Os heróis em ambas as realidades tentam deter a gigantesca onda. Fred tenta aproximar Ícone de um “formato Superman” e o trio de garotos ataque para libertá-lo. Acabam transformados em lápide!

Hardware # 18/Superboy # 12 – Após a libertação de Fred quando tornou-se praticamente “deus” Alva contacta Hazard para uma aliança. Assim um novo peão é posto no tabuleiro, Transit uma teleportadora presa por Hardware. Na Terra Hazard convence Aço da necessidade da aliança para a sobrevivência de ambos os mundos.

Aço luta com Hardware por não concordar que Portal (Fred) deva morrer, e consegue convencê-lo. Bom exemplo de uso da linguagem da força.

Man of Steel # 36/Superboy # 12 – Enquanto o Sindicato do Sangue ainda está em Metropolis Superman faz uma vistoria e descobre que Paris Island foi totalmente destruída. Superboy, Rocket e Static libertam-se da lápide.

Portal obriga Superman a lutar com Ícone para salvar um dos mundos. E a união entre Aço e Hardware ganha força depois que eles percebem que Hazard e Alva não devem controlar Portal.

Icon # 16/Superboy # 13 – Após uma releitura das origens de Ícone e Superman, Portal os abriga a lutarem novamente para salvarem suas cidades, já que ele percebeu que a luta anterior tinha um quê de farsa. Como nenhum dos dois cede, Ícone decide fundir os planetas!

Steel # 7/Superboy # 13 – Os heróis de ambos os mundos atacam Portal, sem obterem muito sucesso diante dos poderes infinitos da criatura.

Blood Syndicate # 17/Superboy # 14 (jan/96) – O Sindicato do Sangue descobre que Paris Island (onde moravam junto com parentes) foi destruída, e é manipulado pelo Portal que os transforma em crianças de primário, em versão de equipe mutante e em monumentos em pedra para lembrarem heróis mortos.

Static # 14/Superboy # 14 – A conclusão da trama. Portal cria uma versão da Legião dos Super-Heróis “clássica” com direito à monitor de missões e tudo mais.

Transit, Aço, Superman e Hardware preparam uma armadilha para Portal e tem que transportá-lo para o novo universo criado. O trio de adolescentes enfrenta os monumentos de pedra dos heróis que morreram em combates da Liga dos Super-Jovens.

Superman e Ícone conseguem posicionar a arma e junto com a energia de Static aprisionam Portal, fazendo os heróis imediatamente irem para seus mundos originais. E tudo volta ao estado anterior do início da saga, ou seja, Paris Island não foi destruída!

A – Louise Simonson (Man of Steel, Steel), Dwayne McDuffie (Hardware, Icon, When worlds colide!, Static), Karl Kesel & Steve Mattisson (Superboy # 6), Karl Kesel (Superboy # 7), Ivan Velez Jr. (Blood Syndicate, When worlds colide!), Robert L. Washington III (When worlds colide!)

D – Jon Bogdanove (Man of Steel), Denys Cowan (When worlds colide!, Static e Hardware # 18), Denys Cowan & JJ Birch (Hardware # 17), Tom Grummett (Superboy, When worlds colide!), Mark Bright (Icon, When worlds colide!), Chris Batista (Steel # 6, When worlds colide!), Chris Batista e Humberto Ramos (Steel # 7), Chris Cross (Blood Syndicate # 16, When worlds colide!), Chris Cross e Ivan Velez Jr. (Blood Syndicate # 17), John Paul Leon (When worlds colide!)

F – Dennis Janke (Man of Steel), Prentis Rollis & JJ Birch (Hardware # 17), Doug Hazlewood & Dennis Janke (Superboy # 6), Doug Hazlewood (Superboy # 7), Mike Gustovich (Icon), Rich Faber (Steel # 6), Rich Faber e Stan Woch (Steel # 7), Rober Quijano (Blood Syndicate # 16, When worlds colide!), Rober Quijano e Prentis Rollins (Blood Syndicate # 17), Bobby Rae (When worlds colide!), Art Nichols (When worlds colide!), Romeo Tanghal (When worlds colide!), Prentiss Rollins (When worlds colide!, Static e Hardware # 18)

Postagens mais visitadas deste blog

EaD: Como estudar sozinho em casa

Lost – A sexta temporada: Um resumo bem pessoal de Lost, até o episódio 9 da sexta temporada.

Existe uma ilha com propriedades magnéticas e místicas. Magnéticas por que há um contador da energia que se acumula na ilha. E místicas por que ela possui um mecanismo que pode ser utilizado para alterar sua posição no tempo e espaço.

Dois seres habitam esta ilha. Um deles, Jacob, está impedindo que o outro, ainda sem nome, saia.

Jacob pode sair da ilha e pode atrair pessoas para lá.

A função de Jacob é impedir que o outro saia da ilha. O segundo deseja matar Jacob para poder sair.

Este segundo pode se tornar uma fumaça escura que agrupada pode se tornar pessoas – geralmente entes queridos mortos – ou ser usada para destruição. Durante muitos anos, nós expectadores, achávamos que era nano-tecnologia que tem conceito semelhante.

Em 1.867 um navio chega a ilha trazendo Ricardo que se tornará agente externo de Jacob. Ricardo se torna imortal graças aos poderes de Jacob.

Um núcleo de pessoas sempre habitou a ilha. Possivelmente atraídos por Jacob. Sempre.

Após enterrar uma bomba de hidrogên…

Os Vingadores vs O Esquadrão Supremo

(Ou Como as histórias não são realmente como nos lembramos)
Não tenho nenhum entusiasmo pelos encontros entre Os Vingadores e Esquadrão Supremo. Nenhum! Ao contrário acho histórias imbecis, mas talvez seja um ranço contra Roy Thomas. Explico: na infância eu odiava os Vingadores de Thomas e por extensão o próprio, mas gostava muito da arte de Conan (Buscema & Zuñiga) ou qualquer coisa feita por Neal Adams como a Guerra Kree-Skrull ou X-Men.

Já adulto um amigo disse que o sujeito era bom e eu fui reler as histórias: não eram tão ruins quanto a lembrança. Inclusive conheci e comprei os setenta números de All-Star Squadron que eram do próprio.
Por fim, descobri que metade daquilo que eu não gostava em Thomas na verdade não era dele... era do Englehart, um sujeito também superestimado pela indústria, que só acertou uma vez: em Batman!
Vencido o preconceito contra o escritor, veio o problema da maturidade: as histórias dos anos 1960 só funcionam lá, especialmente as de super-grupos co…