Perry Rhodan 1820 & 1821: Intrigas e invasão

Perry Rhodan 1820

Perry Rhodan 1820: Intriga em Trokan e Perry Rhodan 1821: A invasão das naves-ouriço, ambos de Peter Terrid. SSPG Editora, setembro e outubro de 2020.

Com ação centrada na Via Láctea – em Trokan e Kataora – estes dois episódios mostram uma ação de diplomatas do Fórum Raglund em criar e disseminar uma planta modificada por engenharia genética na superfície de Trokan e que posteriormente poderia ser utilizada para responsabilizar os terranos e indispor os herreachs.

A trama seguinte é sobre a invasão das naves-ouriço e como o uso de uma nova tecnologia da Camelot faz a diferença na batalha. Parte da edição se passa nas minas de Kataora que serve para uma crítica social sobre condições de trabalho e responsabilidades dos patrões acerca de seus funcionários em um cenário de guerra.

Ainda que a trama de Centoar Vilgor e o blue Tayloz Uepkek – representante do Fórum Raglund – não seja muito inovadora, a maneira como se encerra abruptamente mostra alguma maturidade dos autores, mais sobre encerrar tramas redundantes do que sobre apresentá-las. Mas realmente os personagens Daniela M’Puno e Kim Chun Kee, mineiros de Kataora, são personagens interessantes e simbólicos: mostram que mesmo no quinto milênio a Via Láctea trata mal sua mão de obra.

Perry Rhodan 1821

No mais, vários momentos da batalha televisionada e a quase derrota da LTL, mesmo com a ajuda do equipamento de Camelot. A presença de Atlan faz a diferença e logo um político terrano deseja se aproveitar disto.

Excelente texto de Terrid que chama a atenção por produtos personagens críveis dentro da multidão e dar atenção à eles.

[Observação:]

Originalmente as capas destas edições foram invertidas, mas a versão da SSPG Editora publicada em setembro e outubro de 2020 corrigiu a ordem.

Episódio anterior (aqui).

Episódio seguinte (aqui).

 

Tecnologia do Blogger.