Bugigangas das hq’s: A Lança do Destino

A primeira aparição da Lança do Destino é em Weird War Tales #50 por Steve Englehart, Dick Ayers & Alfredo Alcala. Na capa a lança recebe o nome de Lança da Morte, mas no interior o texto se refere ao objeto como Lança do Destino.

Weird War Tales foi uma série da DC Comics sobre contos de guerras com fundo de magia, bruxaria, ocultismo ou simplesmente místicos. Se eu fosse tradutor, verteria o título da série para “Sinistros Contos de Guerra”, mas creio que a idéia já pegou certo?

Nesta história com data de capa de janeiro/fevereiro de 1.977 o Sargento Baxter e seu colega chegam no bunker onde se encontra Hitler e alguns aliados pouco após a morte do fuhrer. Alguém foge e um colega de Baxter, Walker, ouve pouco antes de morrer que há uma arma mística que traz poder e morte aos seus possuidores.

Esta arma é a Lança do Destino, a lança que foi utilizada para perfurar Jesus Cristo durante a crucificação. Por sinal uma das possíveis origens do Vingador Fantasma é ser o soldado que perfurou Cristo.

A narrativa geral é que a arma permite ao seu possuidor influenciar as massas. Na série italiana “Martin Mystere”, há uma versão da história da influência de Hitler sobre as massas, porém com o uso de Excalibur, a espada de Arthur. No universo ficcional de Mystere ela é uma ferramenta que gera ondas de energia que permitem as pessoas exercerem sua influência sobre as outras.

Mas aqui em Weird War Tales a história segue outros rumos. Hitler cedeu a arma para uma nova pessoa – este novo possuidor é nominado na narrativa como The Coming Man – e a função de Baxter na trama é resgatar a peça.

A Lança foi criada nesta série editada por Joe Orlando, que fazia parte do embrião dos anos 1.970 do que seria a Vertigo década e meia depois, a arma mística foi transferida para o universo dos heróis da editora por Paul Levitz na origem da Sociedade da Justiça (veja aqui) e por Roy Thomas em All-Star Squadron (aqui) e America vs Sociedade da Justiça.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.